O Bitcoin e as criptomoedas claramente surgiram como uma alternativa ao dinheiro emitido pelo Estado. A mensagem de Satoshi Nakamoto deixada no bloco gênesis, eternizada pelo blockchain do Bitcoin, mostra desde o início o objetivo da criptomoeda. 

Porém, por conta de apreensões realizadas, governos já são um dos maiores detentores de bitcoins do mundo, perdendo apenas para o próprio criador da criptomoeda, que muitos acreditam possuir mais de 1 milhão de bitcoins. China e os Estados Unidos já contabilizam cerca de 450 mil bitcoins apreendidos. 

Estados Unidos vs China

Mais uma vez, China e Estados Unidos aparecem em destaque quando o assunto é tecnologia. Segundo um levantamento da BlueBanx, ambos países possuem amplas bases de usuários de criptomoedas no seu território e também estão no ranking dos locais onde se mais negociam Bitcoin. 

Países com maior volume de movimentação de Bitcoins. Fonte: BlueBanx
Países com maior volume de movimentação de Bitcoins. Fonte: BlueBanx

O alto volume de criptoativos negociados nos seus territórios certamente influenciou nessas apreensões que já representam quase 3% do total de bitcoins em circulação no mundo. 

Recentemente a China realizou a maior apreensão de bitcoins da história, decorrentes de um esquema de pirâmide. No total, 194.774 bitcoins foram apreendidos, além de 830.000 ETH, 1,4 milhão de LTC, 27 milhões de EOS, 74.000 DASH, 487 milhões de XRP, 6 bilhões de DOGE, 79.000 BCH e 213.000 USDT. Com isso, a China possui agora cerca de 1% dos bitcoins em circulação.

Recentemente, o FBI fez a apreensão de uma carteira do antigo site Silk Road, que possuía mais de 69 mil bitcoins. Mas essa não foi nem de longe a maior apreensão da agência. Em 2013, cerca de 144 mil bitcoins, também referentes a Silk Road foram apreendidos. 

É impossível saber com exatidão quantos bitcoins estão sob a posse do FBI e dos demais governos por conta dos leilões e vendas já realizados. Dos 144k bitcoins da Silk Road, o bilionário investidor Tim Draper ficou com 30.000. Também não é possível definir se existem outros bitcoins apreendidos em casos que correm em segredo de justiça.

Isso é uma ameaça para o Bitcoin?

Para o investidor Raoul Pal, governos investindo em Bitcoin, assim como já investem em ouro, é algo praticamente inevitável. 

Ainda não chegamos lá, mas isso está acontecendo. A seguir estão as instituições, […], fundos patrimoniais, planos de pensão e, dentro disso, você encontrará algum governo… de repente, digamos que aloquemos 5% em bitcoin.

Cada vez mais o chamado “dinheiro institucional” está fluindo para esse mercado, e é natural pensar que os Estados não queiram perder essa onda. Governos, mesmo os mais mal intencionados a respeito das criptomoedas, não significam uma ameaça à rede só pelo fato de possuírem o criptoativo.

Caso os governos despejem esses ativos no mercado, certamente ocorrerá uma queda de preços, mas provavelmente nada algo significativo no médio prazo, vista a rápida valorização da moeda após as correções do mercado. E caso os governos queiram fazer hold dos criptoativos, eles estarão ,na verdade, deixando-os mais valiosos para os demais detentores.

E aí, você acha que a China vai guardar, indenizar as vítimas da pirâmide ou vender as moedas apreendidas? E o governo dos Estados Unidos, estariam eles interessados apenas em dólares ou estão de olho no Bitcoin? Deixe seu comentário abaixo.

Leia mais: R$ 5 bilhões em bitcoin podem ser liquidados pelo governo dos EUA em parceria com Chainalisys

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br