Passfolio

O Bitcoin começou o ano mais seguro do que nunca após a taxa de hash da rede ter atingido um novo recorde de 203,5 exahashes por segundo (ou EH/s) no domingo (2), de acordo com dados do site Bitinfocharts

A taxa de Hash é a quantidade de poder computacional que garante a segurança da rede e se refere ao poder computacional total e combinado para a mineração e o processamento de transações. 

Quanto maior a taxa de hash, mais segura está a rede, pois o poder computacional exigido para atacar a rede com sucesso também aumenta, ou seja, torna-se mais difícil ocorrer um ataque de 51% na rede.

Hashrate do BTC atinge nova máxima. 

Um invasor com 100% do hashrate atual teria que passar mais de 2 anos minerando a fim de acumular trabalho suficiente para reescrever todo o blockchain de bitcoin.

Nos últimos 12 meses, a taxa de hashes do Bitcoin aumentou 49%, conforme 136,5 EH/s foram registrados em 2 de janeiro de 2021.

O crescimento é ainda mais impressionante (199,2%) quando comparado aos valores registrados em julho de 2021, quando a taxa de hashes despencou cerca de 58 EH/s após a grande repressão à indústria de mineração na China. 

A rede esteve se recuperando de forma estável desde então, conforme diversas grandes operadoras de mineração de bitcoin migraram para outros países, incluindo os EUA e o Cazaquistão.

Leia também: Hashrate recupera níveis pré-banimento da mineração, enquanto a economia da China desacelera

Enquanto isso, a previsão é que a dificuldade de mineração do Bitcoin aumente mais 2,57% esta semana. 

Aniversário de 13 anos 

O novo marco da rede acontece próximo ao 13º aniversário do Dia do Bloco Genesis do Bitcoin.

Em 3 de janeiro de 2009, Satoshi Nakamoto, o anônimo criador do Bitcoin, gerou o bloco zero, também conhecido como “Bloco Gênese”, conforme seus dados contêm a famosa manchete do jornal britânico The Times: “Chancellor on brink of second bailout for banks” (ou “Chanceler à beira do segundo resgate aos bancos”, em português).

Esse Bloco Gênese, que não foi “minerado” da mesma forma que os blocos subsequentes, foi codificado no software do protocolo e o bloco número 1 só foi minerado seis dias depois, em 9 de janeiro de 2009.

Desde então, o Bitcoin tornou-se uma rede de US$ 890 bilhões, com quase 15 mil nós mantendo uma cópia completa ou parcial do primeiro blockchain do mundo.

Leia Mais:

Passfolio