A proposta de criação de uma nova blockchain, feita pelo fundador do ecossistema Terra para salvar o projeto, foi aprovada e será implementada na sexta-feira.

Em uma tentativa de evitar o colapso total de uma das moedas mais vigiadas no mercado de finanças descentralizadas (DeFi) durante esse mês, a nova blockchain da Terra começará a rodar outra moeda e não incluirá a stablecoin TerraUSD (UST), projeto completamente abandonado que, de agora em diante, só será comercializado na antiga blockchain.

A estrutura adotada altera o nome da blockchain original para Terra Classic, e o antigo token será renomeado como Luna Classic (LUNC). O novo projeto assumirá o nome Terra 2.0, e o novo token receberá o nome LUNA. 

Após a implosão da stablecoin algorítmica no início desse mês, o CEO Kwon sugeriu a estratégia baseada no hard fork em seu Twitter no dia 17 de maio, anunciado que, se aprovada, entraria em vigor no dia 27 do mesmo mês. 

Passfolio

Desde então, a comunidade vem se posicionando contra a proposta e, ainda que o resultado final da votação tenha sido favorável para Kwon, seus validadores e outros stakeholders que aprovaram a ideia do hard fork, poucos acreditam que a Terra, de fato, ressurgirá de suas cinzas.

A desaprovação da comunidade chegou a 90%, e o descontentamento foi expressado em todas as plataformas e grupos em redes sociais relacionados à Luna. 

No entanto, na manhã de hoje (25), a criação de uma nova blockchain foi aprovada com 65,5% dos votos. É importante observar que a abstenção de votos alcançou 20,98%. A nova blockchain é diferente do hard fork proposto inicialmente, ela será criada do zero a partir de um bloco gênesis ao invés de ser uma continuação bifurcada da blockchain antiga. 

Seguindo os planos anteriores, aqueles que já haviam investido no projeto falido receberão airdrop da nova versão da moeda. A Binance, sugerindo priorização das vítimas, anunciou no Twitter que está trabalhando com a Terra no plano de recuperação, e que pretende prestar o melhor tratamento possível para os usuários afetados.

Leia também:

Passfolio