Nesta sexta-feira (21) os ursos têm controle total sobre o mercado de criptomoedas, com US$ 200 bilhões perdidos em um dia, enquanto o bitcoin (BTC) caiu abaixo do suporte em US$ 40.000.

Apesar da queda, a rede Bitcoin agora está comprovadamente mais forte do que nunca, pois a dificuldade da rede atingiu um novo recorde histórico. Confira no Resumo de Mercado de hoje também a combinação de fatores que poderão manter o real e outras divisas emergentes sob forte volatilidade.

Rede mais forte
Ranking de Criptomoedas – Fonte: CoinGoLive.com

Aquilo que não me mata só me fortalece

O Bitcoin (BTC) pode ter atingido mínimas de seis meses esta semana, mas apesar da queda no preço, a rede agora está comprovadamente mais forte do que nunca.

De certa forma, essa volatilidade crescente causou muita dor para os traders super alavancados, com as liquidações subindo acima de US$ 700 milhões em um dia.

A partir de agora, o ativo recuperou algum terreno e está em torno de US$ 39.000. No entanto, sua capitalização de mercado sofreu um pouco e agora está abaixo de US$ 750 bilhões.

Contudo, os dados de recursos de monitoramento on-chain, incluindo Glassnode e BTC.com, confirmam que, na sexta-feira, a dificuldade da rede Bitcoin atingiu um novo recorde histórico. 

A dificuldade, que expressa o quanto os mineradores precisam trabalhar para resolver as equações para processar transações no blockchain, é sem dúvida o mais importante dos componentes fundamentais da rede Bitcoin. A métrica se ajusta automaticamente para aumentar ou diminuir o esforço de mineração de acordo com a participação do minerador.

Isso tem o efeito de manter a mineração estável, independentemente de fatores como sentimento, preço ou incidentes não intencionais. Veja que depois de cair em meados de 2021, a dificuldade levou o resto do ano para se recuperar, com o último reajuste automatizado adicionando 9,32% ao nível anterior. Com isso, entrou em território inexplorado acima de 26 trilhões.

Bitcoin fortalecido por conta da dificuldade de mineração e hash rate batendo recorde

O aumento é o maior em mais de meio ano, com dados do BTC.com confirmando que no final de agosto houve o último ajuste de mais de 10%.  

Leia também: Banco da Rússia pede proibição de mineração e negociação de criptomoedas

A dificuldade, portanto, seguiu logicamente a taxa de hash mais alta, estabelecendo continuamente novos recordes no ano passado. 

A taxa de hash, atualmente está em 192 exahashes por segundo (EH/s), tendo atingido brevemente 218 EH/s em 10 de janeiro, de acordo com MiningPoolStats

Queda em Wall Street

Apesar da queda sofrida por Wall Street, o alívio no mercado de títulos do Tesouro americano ajudou os ativos domésticos no pregão de ontem. De olho ainda na melhora da percepção do investidor sobre o cenário fiscal e político local e também em um ajuste técnico, o dólar chegou a furar, pontualmente, o patamar psicológico dos R$ 5,40. 

No encerramento da sessão, a moeda americana foi cotada a R$ 5,41, baixa de 0,92% e o menor nível de fechamento desde 11 de novembro, quando ficou em R$ 5,40. O Ibovespa, após ajustes, subiu 1,01%, a 109.102 pontos.

A melhora da bolsa brasileira contrasta com a direção dos índices americanos: enquanto o Ibovespa sobe 4,08% em 2022, o S&P 500 acumula baixa de 5,95%. 

DJIA: US$34,715 -0.89%

Nasdaq: US$14.154 -1.3%

Leia também: Entidades de previdência institucional ainda não podem investir em bitcoin, diz especialista

A combinação de juros mais altos nos Estados Unidos, desaceleração da China, alta dos preços de petróleo e aperto financeiro domesticamente deve manter o real e outras divisas emergentes sob forte volatilidade.

Altcoins 

As altcoins também estão no vermelho, com a Ethereum (ETH) caindo abaixo de US$ 3.000 e todo o valor de mercado perdendo valor em 24 horas. A capitalização de mercado das criptomoedas teve uma forte queda de US$ 200 bilhões do pico de ontem. 

Leia também: Neymar gasta R$6 milhões em NFTs e agora faz parte do grupo de Bored Apes

O resultado das principais altcoins nas últimas 24 horas é o seguinte: Ethereum (-8,70%), Binance Coin (-8,63%), Cardano (-8,74%), Solana (-9,88%), Ripple (-6,43%), Terra (-5,62%), Polkadot (-8,52%),  Dogecoin (-6,49%), Avalanche (-9,78%) e Shiba Inu (-7,49%).

De acordo com o CoinGoLive, a capitalização de mercado de todos os ativos cripto chegou nesta sexta-feira a cerca de US$ 1,94 trilhão.


Acompanhe as notícias do mercado cripto no grupo do Telegram do Cointimes (acesse) e tenha um ótimo dia de negociações.

A NovaDAX está cheia de novidades!

Uma das maiores corretoras de criptoativos do Brasil agora ZEROU as taxas para saque em real!

A NovaDAX também conta taxa zero para transações de Bitcoin e mais de 110 moedas listadas, com saque disponível na hora e alta liquidez. 

As criptomoedas com as melhores taxas do mercado! Basta ativar o programa gratuito Novawards e aproveitar taxas reduzidas em até 75%.

Conheça ainda o Cartão NovaDAX e peça já o seu.