A primeira fase do Ethereum 2.0 finalmente está instalada e funcionando. A chamada EIP-1559, envolve a “queima” de uma porção das taxas de transação. Mas será que o ETH já se tornou o “ultrasound money”? O que falta para ele se tornar uma moeda deflacionária?

Até agora, mais de 573.924 ETH já foram queimados, conforme os dados do Etherchain. O que equivale a R$ 12.146.527.536 após cerca de 3 meses da atualização, segundo cotação do ETH no Coingolive.

Mas se prepare pois tem mais atualização vindo por aí, já que a equipe da rede Ethereum está coordenando um conjunto de atualizações interconectadas que tornarão o Ethereum mais escalável, mais seguro e mais sustentável. A próxima acontecerá em 27 de Outubro. 

O que é Eth2 ?

Ethereum 2.0, também conhecido como Eth2 ou “Serenity”, é um conjunto de atualizações na blockchain Ethereum. Todas as fases do processo de atualização visam aumentar a velocidade, eficiência e escalabilidade da rede Ethereum para que ela possa processar mais transações e aliviar gargalos. 

O Ethereum 2.0 está sendo lançado em várias fases, com a primeira atualização, chamada de Beacon Chain, entrou no ar em 1 de dezembro de 2020.

Cronologia das fases de atualização da Ethereum 2.0
Atualizações da Ethereum 2.0 – Fonte: ethereum.org/en/eth2/

Todas as atualizações estão sendo desenvolvidas por várias equipes de todo o ecossistema Ethereum, só que o objetivo no geral é atualizar o mecanismo de consenso da rede. Enquanto o Ethereum 1.0 usa um mecanismo de consenso conhecido como prova de trabalho (PoW), o Ethereum 2.0 usará um mecanismo de prova de aposta (PoS).

A prova de aposta difere porque, em vez de mineradores, os usuários podem apostar – realizar o staking – a criptomoeda nativa de uma rede e se tornar validadores. Os validadores são semelhantes aos mineradores no sentido de que verificam as transações e garantem que a rede não está processando transações fraudulentas. 

Esses validadores são selecionados para propor um bloqueio com base na quantidade de criptomoedas que eles seguraram e por quanto tempo eles seguraram elas na forma de staking. 

Outros validadores podem então atestar que existe um bloco. Quando houver atestados suficientes, um bloco pode ser adicionado ao blockchain. Os validadores são então recompensados ​​pela proposição de bloco bem-sucedida. Este processo é conhecido como “forja” ou “cunhagem”. 

A principal vantagem do PoS é que ele é muito mais eficiente em termos de energia do que o PoW, pois desacopla o processamento de computador que consome muita energia do algoritmo de consenso. Isso também significa que você não precisa de muito poder de computação para proteger o blockchain.

Quais são as atualizações? 

Beacon Chain 

O Beacon Chain introduziu o staking para o blockchain da Ethereum, um recurso chave da mudança da rede para um mecanismo de consenso PoS. Como o nome sugere, é um blockchain separado da rede principal Ethereum.

A atualização foi ao ar em 01 de dezembro. Agora, para preparar os desenvolvedores do Beacon Chain para a próxima fase de atualização, em 27 de outubro, a atualização da Altair Beacon Chain está programada para ser ativada na rede principal Ethereum. De acordo com o blog do Ethereum, a atualização representa um “aquecimento de baixo risco” para a fase 1 da Ethereum 2.0. 

Ele fornecerá ao Beacon Chain “suporte ao cliente leve para o consenso central, limpa a contabilidade de incentivos do estado da Beacon, corrige alguns problemas com incentivos do validador e aumenta os parâmetros punitivos de acordo com a EIP-2982.”.

O EIP-2982 introduz “parâmetros punitivos” para garantir que o protocolo de prova de participação seja economicamente seguro. “Vazamento de inatividade” e “redução” são as duas penalidades previstas na proposta de melhoria.

The Merge 

A segunda fase, chamada The Merge, é esperada para o primeiro ou segundo trimestre de 2022 e irá fundir a Beacon Chain com a rede principal Ethereum.

Shard chains

A fase final é Shard Chains, e terá um papel fundamental no dimensionamento da rede Ethereum. Em vez de estabelecer todas as operações em uma única blockchain, as cadeias de shard espalham essas operações em 64 novas cadeias.

Isso também significa que é muito mais fácil do ponto de vista do hardware executar um nó Ethereum porque há muito menos dados que precisam ser armazenados em uma máquina.

Shard chains não são esperadas até 2022, mas não está claro exatamente quando.

Cronograma de atualização Ethereum 2.0 

Após uma série de lançamentos de testnet, Topaz, Medalla, Spadina e Zinken, a implantação completa do Ethereum 2.0 ocorrerá em três fases: Fase 0, 1 e 2 (os desenvolvedores gostam de contar a partir do zero). 

A fase 0 foi lançada em 1º de dezembro de 2020, ela implementou a Cadeia de Beacon; isso armazena e gerencia o registro de validadores, bem como implantou o mecanismo de consenso PoS para Ethereum 2.0.

A cadeia Ethereum PoW original está sendo executada junto com ela, de forma que não haja interrupção na continuidade dos dados. 

A fase 1, prevista para o primeiro / segundo trimestre de 2022, verá a fusão da rede principal Ethereum com a cadeia Beacon e encerrará oficialmente o PoW na rede. 

Os usuários que realizaram o staking na Cadeia de Beacon receberão funções de validador.

A Fase 2 introduzirá a Shard Chains à rede, com um lançamento esperado de 64 shards (permitindo 64 vezes mais throughput do que Ethereum 1.0), embora no lançamento eles não suportem contas ou contratos inteligentes. 

“Originalmente, o plano era trabalhar em cadeias de fragmentos antes da fusão – para lidar com a escalabilidade”, lê-se no relatório da Fundação Ethereum. “No entanto, com o boom das soluções de dimensionamento da camada 2, a prioridade mudou para trocar a prova de trabalho pela prova de aposta por meio da fusão.”

Como as atualizações vão impactar no preço do ETH

Diferente do que alguns podem pensar, as atualizações já realizadas ainda não tornaram o ETH um ativo deflacionário, pois a emissão de tokens ainda supera a queima.

Porém, após a transição completa do algoritmo de consenso para Proof-of-Stake e queda na emissão de ethers, o Ethereum terá grandes chances de diminuir sua oferta total ao longo do tempo.

Isso só deverá ocorrer por volta de dezembro de 2021, quando a rede mudar o seu algoritmo de consenso, levando a uma grande queda na taxa de emissão de ETH para cerca de 0,4% a.a.

Esta redução de emissão de 90% é comparada a 3 halvings do BTC, é daí que surge o “halving triplo”, conforme visto no gráfico de taxa de emissão histórica e projetada de ETH abaixo (no trecho da linha laranja entre “1/1/2021” e “1/1/2022”). É apenas após esse evento que a rede provavelmente se tornará deflacionária.

A Ethereum 2.0 vai impoactar no preço do ETH
Fonte: ethhub.io

Caso essa mudança tenha sucesso, certamente será um marco na história da rede, dado ao aumento de escalabilidade que a Ethereum irá alcançar.

Em outras palavras, mais escalabilidade significa mais uso, o que, por sua vez, significa mais demanda. O que – pelo menos em teoria – deve impulsionar o preço do Ethereum a novas alturas.

Leia Mais: 

O que achou? Ansioso para a Mudança?

Convido você para entrar no Telegram da Mercurius e no Telegram da Cointimes. Nas próximas semanas vamos trazer estudos completos sobre essa nova ETH, e como ela pode impactar o mercado

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br