Bitfy - 760x150

Em menos de 24 horas foi liberado o protocolo Medalla, e confirmado pela Ethereum Foundation em uma live.

Com isso, tivemos início ao último teste da Ethereum 2.0 antes de seu lançamento, que deve ocorrer no final desse ano, de acordo com o seu time de desenvolvimento.

Inclusive, é possível para os usuários de Ethereum testarem o processo de validação via Proof of Stake, sendo interessante mostrar que o Brasil já possui sete nodes que estão testando nesse novo processo de “mineração.”

Nodes da ETH no Testnet da Medalla
Nodes da ETH no Testnet da Medalla

Mas, tenho certeza de que você deve estar se perguntando: afinal, o que é esse tal de ETH 2.0? O que ele mudará?

 

Pensando em responder essa pergunta de forma rápida, nós gravamos esse vídeo abaixo.

E para responder de forma definitiva e completa o seu questionamento o Mercurius Research dessa semana explicará as principais mudanças envolvendo o ETH 2.0.

Por que o ETH 2.0 está surgindo?

A Ethereum surgiu com o propósito de ser uma Blockchain universal paratodas as aplicações descentralizadas que as pessoas gostariam de desenvolver. Para você entender melhor, a Ethereum é como se fosse a internet que hospeda diversos sites (aplicações descentralizadas) e permite que elas funcionem através da utilização de uma única Blockchain.

sso permite que seja muito mais simples criar outros ativos digitais descentralizados e desenvolver diversas soluções descentralizadas, dado que antes da Ethereum você necessitaria de criar uma Blockchain do zero(algo que demanda custo, tempo e se a Blockchain for pequena pode colocar sua aplicação em risco).

Até mesmo por essa facilidade e essa grande utilidade, muito investidores compararam investir na Ethereum como investir na Internet 2.0.

Mas sei que, assim como eu, você deve estar pensando: “Nossa isso é bom de mais para ser verdade, mas como a ETH suportará todas essas aplicações?”

blocos do ethereum

É exatamente esse o problema, o formato atual da Ethereum não suporta todas as aplicações possíveis através de ETH, e isso possui um potencial futuro de causar grandes problemas na escalabilidade do ativo (inclusive já está causando altas taxas na rede). E é por isso que surge o ETH 2.0, que será uma grande atualização no ativo visando resolver o problema de escalabilidade da criptomoeda.

O que o ETH 2.0 mudará?

Essa nova atualização do ETH fará três mudanças principais: alteração do algoritmo de consenso de Proof of Work para Proof of Stake, alteração do modelo de Blockchain (dividindo a Blockchain em 64 partes diferentes) e criação de uma nova Blockchain (a Beacon Chain).

Mais abaixo explicaremos de forma detalhada essas três mudanças.

Algoritmo de consenso

Sobre a primeira mudança, ela consiste na alteração do formato de validação das transações da ETH. Atualmente, é utilizado o modelo de Proof of Work para a validação das transações, que basicamente consiste a partir de uma validação realizada por inúmeros cálculos matemáticos que exigem um grande poder computacional e um grande custo energético.

Com isso, é criado uma grande barreira de entrada para novos mineradores na rede, o que faz com que pouquíssimas pessoas consigam minerar e tornar a atividade de validação da rede centralizada no longo prazo, o que pode ser um risco muito grave.

Para resolver esse problema, a Ethereum visa alterar seu algoritmo de consenso para o Proof of Stake, que consiste na validação das transações a partir da quantidade de tokens que o indivíduo possui.

Basicamente, o que acontece é que as pessoas que desejam minerar ETH enviam seus tokens para um contrato inteligente que congela esses tokens. Quanto maior o saldo das pessoas nesse contrato inteligente, mais chance essa pessoa possui de minerar e validar as transações de um bloco.

Com isso a rede sorteia, de forma aleatória e baseada na quantidade de tokens, um indivíduo para validar cada bloco, e depois as demais pessoas conferem se essa validação é verdadeira.

Esse modelo faz com que a validação das transações seja muito mais acessível, descentralizada e barata.

Nova Blockchain

Além desse novo modelo de validação das transações, será criada uma nova Blockchain para o ETH: a Beacon Chain. Nessa Blockchain, as inovações dessa atualização serão testadas e validadas.E ao longo da transição do ETH 1.0 para o ETH 2.0, a primeira Blockchain da Ethereum será integrada a Beacon Chain formando um ecossistema de Blockchains que será conhecido como ETH 2.0.

Novo formato de Blockchain

A outra grande novidade da Ethereum é a divisão da base de dados de sua Blockchain, que será quebrada em 64 partes diferentes que serão conhecidas como Shards. Em que cada uma dessas partes se comunicará entre si e formará a Blockchain da Ethereum.

Isso é uma das propostas mais estudas para aumento de escalabilidade da Blockchain, junto com as soluções off chain (como a Lightning Networking, implementada no BTC).

O que esperar da ETH 2.0?

A criação da ETH 2.0 é um dos movimentos mais ousados que já foram vistos no mercado de criptomoedas, e sua implementação de forma completa só deve ocorrer entre 2025 a 2030.

Caso essa mudança tenha sucesso, certamente será um marco na história dos criptoativos, dado ao grande aumento de escalabilidade que a Ethereum irá atingir.

Se isso ocorrer certamente o ativo terá um valor e uma utilidade muito maior que ele possui agora, mas para sabermos se isso realmente ocorrerá teremos de aguardar e estudar muito…

O que achou? Ansioso para a Mudança?

Convido você para entrar no Telegram da Mercurius e no Telegram da Cointimes. Nas próximas semanas vamos trazer estudos completos sobre essa nova ETH, e como ela pode impactar o mercado


Invista em criptomoedas com segurança, alta liquidez e as menores taxas do mercado.

NovaDAX: a exchange mais completa do Brasil com mais de 25 criptomoedas listadas e a melhor nota de atendimento ao cliente.

Conheça novadax.com.br