Passfolio

A maior plataforma de negociação de NFTs do mundo está expandindo suas operações com o lançamento de uma plataforma totalmente nova. 

No dia 20 de maio, a OpenSea anunciou o Seaport, um novo protocolo Web3 para negociação de coleções populares de NFTs, adotando uma abordagem diferente do modelo padrão de negociação, que envolve uma plataforma para facilitar o acordo entre vendedor e comprador.

O novo protocolo descentralizado não é apenas para a OpenSea, todos os desenvolvedores, criadores de conteúdo e colecionadores podem trabalhar nele, “com o objetivo de enfatizar a flexibilidade e as otimizações para dar suporte às novas direções que casos de uso de NFTs estão tomando.”

Leia também: NFTs serão o futuro? Sim. Do jeito que são hoje? Não.

Passfolio

A maioria dos mercados atuais de NFTs só permite listagens onde uma parte concorda em fornecer um NFT e a outra concorda em fornecer um token como pagamento. O Seaport tem uma abordagem diferente: ofertantes podem concordar em fornecer uma série de itens ETH/ERC20/ERC721/ERC1155 – esta é a “oferta”. Para que essa oferta seja aceita, um número de itens deve ser recebido pelos destinatários indicados pelo ofertante – esta é a “consideração.”

Cada listagem no Seaport consiste na mesma estrutura básica, incluindo uma carga útil de assinatura EIP-712 melhorada, que delineia claramente o que pode ser gasto e o que será recebido de volta. 

O anúncio, feito no blog da OpenSea, explicou como exatamente o Seaport facilitaria as transações usando “fulfillments” para garantir que elas sejam processadas corretamente, e acrescentou que o novo sistema elimina transferências redundantes permitindo “transações novas e eficientes.”

Há várias outras funções como “zones” e “channels” que melhoram o processo de transação, permitem a troca e evitam o abuso do sistema. O Seaport também introduz a função “tipping,” permitindo que interfaces alternativas incluam suas próprias taxas, facilitando a listagem dinâmica, bem como outras aplicações inovadoras, como leilões on-chain.

A empresa acrescentou que a plataforma é completamente descentralizada e de código aberto, informando que a OpenSea não controla nem opera o protocolo Seaport, “seremos apenas um, entre muitos, construindo este protocolo compartilhado.”

Leia mais:

Passfolio