As tensões entre os EUA e China no passado levaram a um aumento do interesse em Bitcoin. Mas agora que a economia está em lockdown, espera-se que o agravamento das relações entre os dois países tenha um impacto negativo sobre os ativos no curto prazo.

O aumento das tensões entre os EUA e a China pode ser responsável pelo momento de queda do Bitcoin?

Leia também:

As tensões estão aumentando entre EUA e China

No início de 2019, a guerra comercial entre EUA e China começou a ferver. Durante esse período, o ouro havia iniciado uma nova corrida de alta e o Bitcoin subiu para os 13 mil dólares.

Os dois ativos começaram a esfriar ao lado da briga. Até que o coronavírus chegou, e cada país voltou sua atenção para a saúde e segurança pública e suspendeu as relações negativas.

Desde então, as acusações sobre as subnotificações de casos e até mesmo da criação do vírus em laboratório está levando a um retorno do relacionamento desagradável entre as duas superpotências globais.

“Algum louco na China acabou de soltar um comunicado culpando todo mundo menos a China pelo vírus que já matou centenas de milhares de pessoas. Por favor expliquem para esse maluco que isso foi “incompetência da China”, e nada mais, que causou esse massiva matança global!”

Enquanto os países entram nessa guerra política de narrativas, os investidores podem sentir impactos negativos nos seus ativos, como aconteceu hoje com a queda de 0,41% do Dow Jones. O medo afasta os investidores do risco.

Bom ou ruim para o Bitcoin?

A pior situação para os investidores é quando o medo, a incerteza e a dúvida obscurecem seu julgamento. Isso leva a vendas de pânico como o que foi testemunhado em março passado na Quinta-feira Negra.

O Bitcoin está se recuperando desde os mínimos estabelecidos naquele dia fatídico, mas as tensões entre o presidente da China Xi Jinping e o presidente dos EUA, Donald Trump estão saindo de controle e são motivo de grande preocupação de outro colapso.

As duas principais superpotências econômicas estão lutando devido ao impacto do vírus. Gerando estresse adicional devido a tarifas, acordos comerciais fracassados e potencialmente a guerra, isso poderia ser um golpe esmagador na chance de recuperação de cada país.

Embora, eventualmente, as tensões possam fazer os investidores se voltarem para o acúmulo de ativos mais sólidos como Bitcoin e ouro, os dois ativos estão mostrando sinais de que seus ganhos recentes estão desacelerando.

Todavia, em meio ao caos e as falhas dos bancos ao redor do mundo, as características mais sólidas do Bitcoin estão se provando como extremamente importantes nesse período.

Veja também: Nick Szabo afirma que ativos digitalizados centralizados são profundamente inseguros