Com o lançamento da Blockstream Mining Note, qualquer um pode investir em mineração de bitcoin sem a necessidade de comprar equipamentos e construir a própria infraestrutura.

A mineração em nuvem sempre foi um tópico polêmico entre os entusiastas de Bitcoin, pois, apesar de parecer uma boa ideia à primeira vista, a maioria dos negócios relacionados a isso se tratavam de golpes.

O que faltava, na opinião de alguns investidores, era uma empresa com um histórico de bons empreendimentos para realizar tal feito. A Blockstream, criada em 2014 por criptógrafos e desenvolvedores do Bitcoin como Adam Back e Pieter Wuille, finalmente fez de uma forma tokenizada.

Blockstream Mining Note e mineração em nuvem

Conhecida pela criação e desenvolvimento da Liquid, rede federada paralela ao Bitcoin, a Blockstream criou a BMN (Blockstream Mining Note) para investidores terem acesso ao hashrate de mineradoras norte-americanas.

BMN é, portanto, um token que roda na rede Liquid e representa partes (shares, como ações) de poder computacional. Se trata de security token que segue as regulamentações da União Europeia e era direcionado para investidores qualificados.

Essa restrição para investidores qualificados, porém, foi mitigada com a integração da BMN1 na exchange MERJ, da plataforma DIGTL. Cada BMN1 representa 100.000 BMN, de forma similar ao mercado fracionário de ações na bolsa de valores.

corretora de BMN, MERJ

Nesta corretora, você pode depositar a stablecoin USDC para comprar os papéis de mineração de bitcoin. É necessário validar a sua conta com informações pessoais (KYC), mas não é preciso ser um investidor qualificado, o que diminui significativamente a barreira de entrada.

Caso você já tenha BMN, também pode depositá-los para negociar na corretora. No momento da escrita desta matéria, o security token é negociado a 3,59 USD e apresenta valorização de cerca de 13% na última semana.

O Blockstream Mining Note, então, funciona da seguinte forma:

  1. Um investidor qualificado compra uma certa quantidade de BMN;
  2. O hashrate associado ao BMN emitido minera bitcoin (atualmente todo o hashrate está na Slush Pool);
  3. O BTC minerado pelo BMN é guardado em armazenamento frio;
  4. O BMN pode ser negociado livremente de forma direta (p2p) na rede Liquid ou em corretoras como a MERJ;
  5. Ao final do termo de 36 meses da compra inicial, os bitcoins são enviados para o detentor do token BMN.

Funciona como a tradicional mineração em nuvem, mas de uma forma regulada e sustentada por empresas com anos de experiência no mercado de Bitcoin. Mas vale a pena? Eu, redator no Cointimes, pessoalmente considero um grande avanço para a indústria apesar de não ser um investidor deste token. Caso você queira ler um review completo sobre este investimento em mineração de nuvem, siga-nos no Twitter e Telegram e comente com a gente sobre isso.

Veja também:

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br