Coingoback

Com o preço do Bitcoin se aproximando de US$ 20.000, alcançando sua alta histórica em dólar de dezembro de 2017, as taxas de transferência continuam relativamente baixas, com uma taxa média de US$ 2,53 em btc. A rede Bitcoin tornou-se mais eficiente?

Média (em dólar) das taxas de transações na rede Bitcoin ao longo do tempo. Fonte: Bitinfocharts.
Média (em dólar) das taxas de transações na rede Bitcoin ao longo do tempo. Fonte: Bitinfocharts.

De acordo com o site Mempool.Space, é possível enviar uma taxa de 64 satoshis por byte (aproximadamente US$ 1,69) para ter sua transação confirmada com alta prioridade, no momento da escrita desse post.

Qualquer um que tentou fazer transações com Bitcoin no pico da última alta de todos os tempos lembra do quanto era caro, por exemplo, realizar um saque de BTC de uma exchange.

Até mesmo em uma carteira pessoal, onde o usuário tem controle das taxas, os bitcoiners enfrentavam o dilema de pagarem cerca de 20 dólares ou ficarem com as transações “presas” por um tempo indeterminado aguardando confirmações.

Uma crença popular dentro da comunidade de criptomoedas era de que se o preço subisse até esse ponto de novo, a rede enfrentaria um congestionamento semelhante novamente, devido a demanda crescente. O que pode ter mudado?

Veja também: Como economizar em taxas de bitcoins

Mempool

O primeiro passo para entender as taxas de rede do Bitcoin é conhecer a dinâmica da mempool, onde ficam as transações não confirmadas em uma espécie de fila.

Tamanho da mempool (em bytes) ao longo do tempo. Fonte: Blockchain.com
Tamanho da mempool (em bytes) ao longo do tempo. Fonte: Blockchain.com

Apesar do aumento de preço similar, a mempool não enfrentou um congestionamento tão alto como em 2017 e começo de 2018. De lá para cá algumas coisas mudaram, e o uso do Segwit foi uma delas.

As forma de transacionar mudou

Conforme já explicamos no Cointimes anteriormente, o Segregated Witness (SegWit) foi uma proposta de melhoria para as transações de btc implementadas por um softfork, e dessa forma, o seu uso é opcional.

Muito embora esse upgrade confira uma taxa menor para o usuário e permite mais espaço em cada bloco da rede, a atualização demorou para a adoção tomar tração.

Gráfico do uso do Segwit
Hoje, de acordo com o Transactionfee.info, cerca de 67% dos pagamentos em bitcoin usam o Segwit.

Além de melhorar a escalabilidade do Bitcoin por si só, o Segwit era uma das formas possíveis de implementação da Lightning Network, que começou a ganhar mais robustez no final de 2018.

Capacidade em Bitcoin (linha laranja) e em USD (linha azul) da Lighting Network. Fonte: Bitcoin Visuals.
Capacidade em Bitcoin (linha laranja) e em USD (linha azul) da Lighting Network. Fonte: Bitcoin Visuals.

Como a Lightning é uma solução de segunda camada que integra diversos canais de pagamentos diferentes, é impossível saber o quanto é movimentado diariamente por lá, pois as transações não precisam ser registradas no blockchain. Quanto mais pagamentos são feitos por lá, menos congestionamento para o Bitcoin.

Mas como é uma rede ainda em fase experimental, a adoção ainda não ganhou força expressiva na comunidade de criptomoedas. A ocorrência de bugs podem ocasionar em perda de fundos.

Mas provavelmente mais importante que a Lightning foi simplesmente o loteamento de transações, chamado de “batching”. Que basicamente, consiste em agrupar várias saídas em uma única transação, ou seja, enviar moedas para vários endereços de bitcoin de uma só vez.

Grandes exchanges, como a Coinbase, só otimizaram seus saques recentemente, transmitindo os saques para o blockchain em conjunto, e assim ocupando bem menos espaço. O batching pode ser entendido como o envio das transações de ônibus, em vez de carros particulares.

comparação do engarrafamento de pessoas em ônibus e carros.

Preço subiu por conta de grandes players

E por último, mas talvez o motivo mais importante, é que a recente alta do Bitcoin não foi puxada por investidores de varejo, com cada usuário realizando sua pequena compra e transmitindo algumas transações no blockchain.

Desta vez, tudo indica que a corrida dos touros foi impulsionada por compras de investidores grandes como os bilionários Michael Saylor, Paul Tudor Jones e Stanley Druckenmiller, além de empresas como MicroStrategy e Hut 8 Mining Corp.

Os números indicam que um enorme volume de compras foram feitas pelo CashApp da Square, e pelo PayPal, que recentemente adotou as criptomoedas oficialmente. Essas compras se fazem de maneira offchain, e não precisam de nenhuma transação no blockchain para se concretizar. Tudo isso faz o preço da moeda subir sem afetar as taxas médias da rede.

Similarmente são as compras feitas por investidores institucionais por meio dos fundos Grayscale Bitcoin Trust, Galaxy Digital Holdings, Coinshares ou 3iQ The Bitcoin Fund.

Por esses e outros motivos, as taxas continuam relativamente baixas no Bitcoin, mesmo com uma massiva corrida de touros elevando o preço da criptomoeda. Acha que alguma razão importante ficou de fora do texto? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das principais exchanges do Brasil e mundo, e compre Bitcoin, Ethereum e USDT pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!