A companhia aérea alemã Hahn Air afirma ser a primeira a emitir passagens em uma blockchain, anunciou a empresa em um comunicado à imprensa em 18 de novembro.

A venda de passagens usando a tecnologia blockchain foi possível graças à colaboração da Hahn Air com uma plataforma descentralizada para a indústria de viagens, a Winding Tree. Frederick Nowotny, chefe de engenharia de vendas da Hahn Air, Maksim Izmaylov, fundador da Winding Tree, e Davide Montali, CIO da Winding Tree, tornaram-se os primeiros passageiros a usar bilhetes reservados para blockchain.

Comentando o produto, Nowotny disse que o objetivo da empresa é “investigar e monitorar as oportunidades que essa tecnologia oferece para a distribuição de viagens, mesmo que a aceitação generalizada ainda seja uma visão do futuro”.

Blockchain e criptomoedas na indústria de viagens

A tecnologia blockchain e as moedas digitais têm entrado constantemente no setor de viagens nos últimos anos. No início de novembro, a Alternative Airlines, uma empresa de viagens com sede no Reino Unido, fez parceria com o serviço de criptomoeda Utrust para facilitar pagamentos com criptomoedas, incluindo Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH), Dash, DigiByte (DGB) e o token nativo da Utrust UTK.

No final de outubro, a startup de blockchain Zamna levantou US$ 5 milhões para automatizar as verificações de segurança aeroportuária usando a tecnologia blockchain e biométrica. Zamna disse que o Grupo International Airlines, a Emirates Airlines e a Diretoria Geral de Assuntos de Residências e Estrangeiros dos Emirados Árabes Unidos estão agora entre seus clientes.

Recomendado para você: ++ CEO da Ripple oferece “solução trilionária” aos bancos

Fonte: Cointelegraph.