O mundo está enfrentando uma escassez de ouro físico, que segundo especialistas nunca foi vista na história.

Com as injeções de trilhões dos bancos centrais, o aumento de receios sobre uma possível inflação e crise devido à pandemia de covid19, o ouro físico começou a ser mais visado por investidores.

Contudo, o cancelamento de voos de segurança para transporte de ouro e a falta de trabalhadores nas refinarias do minério estão causando problemas de abastecimento nos principais centros financeiros do mundo.

“Aas refinarias nunca tiveram que parar – nem na guerra, nem na grande crise financeira, nem em desastres naturais”, disse Tai Wong, chefe de derivativos de metais da BMO Capital.

Para lidar com os atrasos nas entregas e a disrupção da cadeia de suprimentos, a London Bullion Market Association em conjunto com vários grandes bancos e corretoras estão mudando as regras de entrega do metal.

A partir dessa semana, as barras de 400 onças também serão aceitas nas liquidações feitas pela Chicago Mercantile Exchange & Chicago Board of Trade (CME).

A falta de ouro para ser entregue fez com que os preços do mercado futuro e do spot divergissem em quase US$40. Com a mudança de regras na entrega, a diferença de preços está praticamente fechada.

Apesar disso, ainda restam dúvidas se a quantidade de ouro será o suficiente para abastecer os contratos negociados na Comex de Nova York.

ouro físico

Ouro é uma boa opção?

Conforme mostramos no texto “Quais são as melhores moedas em uma crise mundial?” em tempos de inflação e recessão o ouro historicamente parece se sair bem.

Para o banco Goldman Sachs as perspectivas para o ouro são positivas no curto e médio prazo:

“Provavelmente estamos em um ponto de inflexão em que as compras orientadas pelo ‘medo’ começarão a dominar a pressão de venda impulsionada pela liquidez, como ocorreu em novembro de 2008. Como tal, as perspectivas de ouro de curto e longo prazo estão parecendo muito mais construtivas , e estamos cada vez mais confiantes em nossa meta de 12 meses de US $ 1800 / toz “, afirmou o memorando da Goldman Sachs.