O jornalista e deputado federal Celso Russomanno comentou novamente sobre criptomoedas, dessa vez chamando os ativos digitais de golpes sem lastro.

Apresentando o Cidade Alerta na Record, Russomanno noticiava o caso da BinaryBit, que supostamente promete altos rendimentos de 10% ao mês com mercado cripto e forex. Veja a reportagem abaixo:

“Criptomoeda ou qualquer investimento que te prometa vantajosos lucros é golpe”, diz Celso Russomanno.

Comparando “criptomoeda”, de forma geral, com promessas irreais de ganhos, Celso Russomanno argumenta:

“Aí o pessoal que lida com criptomoeda aqui no Brasil diz “Você é radical!”. Não é que eu sou radical, é que a criptomoeda não tem lastro.

O dinheiro que você circula, de qualquer país do mundo, tem lastro em dólar, em dólar não, em ouro. Então tem lastro. O país garante aquele dinheiro, né? De que você troque aquele dinheiro e que você receba.”

No entanto, apesar de governos comumente possuírem alguma reserva em ouro, eles não garantem o poder de compra de moeda fiduciária nenhuma. O real que brasileiros utilizam no dia a dia não tem relação com nenhum metal precioso.

Talvez o motivo da confusão de Russomanno venha do acordo de Bretton Woods, onde por algum tempo diversas moedas estatais de fato se apoiaram no dólar, enquanto o dólar era pareado ao ouro.

No entanto, em 1971 o governo de Nixon nos EUA quebrou unilateralmente o acordo e desfez o padrão-ouro. A promessa era de que seria uma medida temporária, mas desde então as moedas dependem unicamente da confiança nos governos e seus bancos centrais.

Por que existe criptomoeda?

Na verdade, o Bitcoin surgiu para romper a necessidade de confiança em bancos centrais e tradicionais para movimentação de valores online. A rede peer-to-peer criada por Satoshi Nakamoto serviu esse propósito muito bem, e sua finalidade é claramente exposta em uma publicação de 11 de fevereiro de 2009.

“A raiz do problema com a moeda convencional é toda a confiança necessária para fazê-la funcionar. O banco central deve ser confiável para não desvalorizar a moeda, mas a história das moedas fiduciárias está cheia de violações dessa confiança”, escreveu Satoshi.

Isso contraria a razão de existir da criptomoeda na opinião de Russomanno: “Existe criptomoeda principalmente para cometer crime transnacional. Tráfico de drogas, tráfico de órgãos, contrabando de ouro, de pedras preciosas. É para o crime organizado.”

O válido alerta de Russomanno

Como um programa direcionado para consumidores, Russomanno faz seu papel em alertar contra os golpes praticados com criptomoedas, dizendo:

“No mercado, não estão generalizando agora, mas no mercado [existem] pessoas que fazem contratos e se dizem experts em aplicação e que você vai ter um rendimento de 10%. Olha, falou em rendimento de mais de 2% ao mês, desconfia. Desconfia porque é problema.”

Dessa vez sem generalizar, como fez no ano retrasado ao afirmar que quem estava ganhando dinheiro com bitcoin era golpista, Celso Russomanno faz um alerta válido.

São diversos os casos de supostas empresas de investimentos que acabaram simplesmente sumindo com o dinheiro das vítimas. A tentação, como explica o jornalista, é investir, por exemplo, R$ 100.000 e receber R$ 10.000 por mês para parar de trabalhar. Infelizmente, a ganância leva a perda do valor em um golpe.

Portanto, tenha cuidado. Faça a sua própria pesquisa antes de investir em qualquer criptomoeda e, principalmente, antes de terceirizar a custódia das suas moedas para uma empresa em troca de rendimentos. Sem dúvidas, a maioria das ofertas que você receberá em sua jornada serão de golpistas.

Na mesma medida que a descentralização trouxe autonomia, ela também carrega uma necessidade de maior responsabilidade, afinal não há órgãos centralizados para abrir queixas e pedir devolução de dinheiro. Por isso, não confie, verifique.

Veja também:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br