Coingoback

A cotação de 155 mil reais por bitcoin pode assustar alguns investidores iniciantes, mas é sempre bom lembrar que a divisibilidade da criptomoeda possibilita que qualquer pessoa possua algumas frações, por menor que seja o capital investido.

Caso você ainda não saiba, cada BTC é composto por 100 milhões de unidades monetárias chamadas de satoshis. Isso significa que é possível comprar e guardar apenas R$ 100, R$ 50, ou até mesmo R$ 1 de bitcoin em uma carteira digital. Portanto, é um mito que apenas ricos têm o suficiente para investir em bitcoin.

Não precisa de muito para comprar bitcoin

A verdade é que essa tecnologia revolucionária tem um grande potencial para ajudar justamente as pessoas mais pobres. Nós explicamos melhor isso no artigo “Como Bancos Centrais aumentam a Desigualdade“.

Levando a divisibilidade em conta, também é um mito que o bitcoin não vale mais a pena porque seu preço está “alto demais”, enquanto altcoins que custam centavos possuem maiores chances de multiplicação de patrimônio.

Não há nenhuma evidência de que criptomoedas pequenas enxergam uma relação de risco e retorno mais vantajosa que o bitcoin. Além disso, o menor custo muitas vezes apenas reflete uma oferta maior, o que não significa um fundamento forte e claro.

Neste texto, mostramos 3 maneiras de começar a acumular valor em BTC para o futuro, mesmo tendo pouco dinheiro.

Leia também: “Pobres devem comprar US$1 em BTC todo dia”, sugere Max Keiser

A partir de R$ 50 no Coingoback

Recentemente, a conhecida plataforma de cashback em bitcoin e criptomoedas evoluiu e integrou a compra fácil de bitcoin. Nessa página, você pode usar a sua conta do Coingoback para adquirir frações de BTC a partir de 50 reais.

Esse, inclusive, é um dos únicos jeitos de comprar bitcoin com o cartão de crédito. Mas leve em consideração que pagando com PIX, existe o benefício de um cashback de 2%. Apenas leia as instruções com atenção antes de finalizar a compra.

Compra fácil no Coingoback

Porém, se você, assim como eu, usa a estratégia de “Dollar-Cost Averaging” (DCA), também conhecida como “preço médio”, pode optar pela assinatura mensal de bitcoin. Chamado de Coingoback Loop, o serviço disponibiliza uma forma de pagamento por cartão de crédito, e desconta R$ 100 (na menor opção de assinatura) todos os meses na sua fatura. Essa é provavelmente a forma mais fácil de se acumular bitcoin sem se preocupar com variações de curto prazo.

Quando estiver satisfeito com a quantidade acumulada, pode sacar (com taxas baixas) até mesmo pela Lightning Network, uma solução de escalabilidade que proporciona transferências rápidas e baratas.

A partir de R$ 20 na Foxbit

Se você é um investidor iniciante, pode estar começando a aprender o conceito de corretora de valores. Para te ajudar nisso, indicamos uma corretora segura e com longo histórico de atuação, a Foxbit. Fundada em 2014, a Foxbit é uma das exchanges brasileiras mais antigas e conceituadas.

Nela, o depósito mínimo é de 20 reais, e via PIX o valor pode ser transferido em qualquer horário do dia e até mesmo em finais de semana. Essa é uma forma segura e confiável de acumular satoshis, a única desvantagem é ter que acumular bastante para valer a pena o pagamento da taxa de saque de bitcoin.

A partir de R$ 1 na Bipa

A Bipa é um aplicativo para celular que fornece uma solução para comprar e vender bitcoin de forma simples. Com essa opção, você compra e vende a partir de 1 real.

Embora a taxa seja de 1,5% para negociação, esse app permite que você saque pela Lightning Network, sem pagar taxas. Assim, você pode avaliar que vale a pena mesmo para pequenos valores.

Similar ao Coingoback, também é possível programar compras recorrentes na Bipa, mas é preciso deixar um saldo pronto na plataforma. É uma solução que prova que não é preciso muito para ter alguns satoshinhos no bolso.

Quanto você teria se tivesse começado a investir em bitcoin mais cedo?

No artigo “Comprar Bitcoin tem sido lucrativo em 99,9% dos dias” desenvolvemos todos os motivos para o DCA ser a melhor forma de acumular bitcoin. Mas para reforçar, vamos fazer uma simulação com o BitcoinHodler, uma ferramenta criada pelo desenvolvedor brasileiro Miguel Medeiros.

Iniciando em 1 de janeiro de 2018, com uma frequência de compra de 1 dólar (atualmente cerca de R$ 5,22) em bitcoin por semana, o resultado seria de 634,08 dólares acumulados em BTC (ou cerca de R$ 3.310,09). Um lucro superior a 291%, gastando não mais que 20 reais por mês.

Claro, existem riscos atrelados ao investimento em criptomoedas, e retornos passados não são garantias de retornos futuros. Esse texto não representa uma recomendação de compra, mas informações suficientes para desbancar o mito de que é preciso muito dinheiro para investir em bitcoin.

Veja também:


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das principais exchanges do Brasil e mundo, e compre Bitcoin, Ethereum e USDT pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!