• O preço do Bitcoin se aproxima de US$ 10.500 pela primeira vez desde o início de setembro.
  • Vinte e nove das 30 principais criptomoedas relataram ganhos na quarta-feira.
  • O valor de mercado combinado de todas as criptomoedas ultrapassa US$ 300 bilhões pela primeira vez em seis meses.

O Bitcoin e as altcoins estenderam seus rallys na quarta-feira, elevando seu valor de mercado coletivo ao norte de US$ 300 bilhões pela primeira vez desde agosto.

++ Entenda por que o Bitcoin está subindo!

Rally do Bitcoin

O preço do bitcoin disparou da noite para o dia, chegando a US$ 10.487,46 na exchange Gemini – o ponto mais alto desde setembro.

A principal criptomoeda foi vista pela última vez pairando pouco abaixo de US $ 10.400, tendo ganho quase 5% nas últimas 24 horas.

Bitcoin price, btc
Bitcoin já subiu 47% desde o começo do ano. Fonte: TradingView.

A valores atuais, o bitcoin tem uma capitalização de mercado total de US$ 188,9 bilhões, representando 62,4% da classe de ativos de cripto.

O retorno do Bitcoin aos US$ 10.000 parecia iminente na semana passada depois que a maior criptomoeda alcançou um marco técnico importante.

Em 31 de janeiro, a média móvel exponencial de 50 dias (EMA) cruzou a EMA de 200 dias, preparando o cenário para uma continuação da tendência de alta. Desde que a chamada “cruz de ouro” foi alcançada, o bitcoin alcançou mais de US$ 2.000.

O ressurgimento das altcoins

Além da criptomoeda número um, altcoins e tokens tiveram um aumento significativo na quarta-feira.

O Ethereum (ETH) subiu 13,5%, para US$ 254,35, o maior desde julho. O XRP subiu 8,7%, para US$ 0,2969. Bitcoin Cash (BCH), EOS, Litecoin (LTC) e Cardano (ADA) aumentaram entre 4% e 11%.

Mas nenhuma outra criptomoeda exemplificou ‘alt season’ como Tezos (XTZ). A plataforma de tokenização aumentou mais de 20% na quarta-feira a caminho de uma nova alta histórica.

Todos os criptoativos combinados atingiram uma capitalização de mercado total de US$ 302,7 bilhões, a maior desde agosto.

A classe de ativos cresceu US$ 110 bilhões apenas este ano, tendo revertido completamente o mercado cíclico de baixa que começou no terceiro trimestre de 2019.

O que o futuro aguarda? Ainda não sabemos, continue acompanhando o Cointimes em todas as redes sociais para ficar por dentro de tudo, Facebook, Telegram, YouTube, Instagram e Twitter.