De acordo com seu último anúncio, a Internal Revenue Service (IRS), ou Receita Federal dos EUA, declarou uma oferta para financiar o desenvolvimento de uma ferramenta para rastrear Monero e a Lightning Network (LN) do Bitcoin.

A IRS quer estar ciente das atividades que acontecem na rede Monero, criptomoeda focada em privacidade, e na LN, solução de segunda camada do Bitcoin.

É por isso que a organização federal está convidando aplicativos com protótipos de trabalho demonstrados que podem ajudá-la nessa tarefa. A Receita está disposta a oferecer 625 mil dólares por isso.

Anteriormente, a Receita Federal dos Estados Unidos já havia gasto US$ 250 mil em um contrato com uma empresa de análise de dados de blockchain.

Leia também: CEO da CipherTrace afirma que consegue rastrear Monero, mas não sabe como

Receita americana vai financiar tentativas e rastrear criptomoedas

Em um anúncio datado de 4 de setembro, o Internal Revenue Service, Criminal Investigation (IRS-CI), a maior agência federal de aplicação da lei no Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, publicou um contrato de recompensa para um protótipo funcional que pode invadir a rede Lightning e o Monero.

A agência aceitará inscrições até 16 de setembro e distribuirá um total de US$ 625.000 em duas fases para financiar o desenvolvimento da inscrição selecionada. Na primeira fase, a IRS pagará US$ 500.000 e a equipe de desenvolvimento terá que entregar o ‘protótipo do produto de quebra de privacidade’ dentro de oito meses.

O pagamento dos US$ 125.000 restantes ocorrerá se a execução do piloto for bem-sucedida e o governo aprovar o modelo. A IRS citou o uso de Monero e outras moedas de privacidade em geral em atividades ilegais para justificar sua última jogada de recompensa. Mas e a Lightning Network?

A agência acredita que a famosa rede de segunda camada do Bitcoin cresceu tremendamente desde seu início em março de 2018. O número crescente de nós na LN é uma questão preocupante, já que transações fora do blockchain teoricamente se beneficiam de maior privacidade.

Além disso, a IRS citou a falta de ferramentas eficientes para enxergar essas redes de criptomoedas:

“Atualmente, existem recursos investigativos limitados para rastrear transações envolvendo moedas de criptomoeda de privacidade, como Monero, transações de protocolo de rede da Camada 2, como Lightning Labs, ou outras transações fora da cadeia que fornecem privacidade a atores ilícitos.”

A Receita Federal americana já gastou US$ 250.000 em ferramentas de análise de blockchain

A agência federal tem trabalhado diligentemente para aumentar suas habilidades de análise de criptomoedas e blockchain. Alguns dias atrás, ela assinou um contrato de um quarto de milhão de dólares com a ‘Blockchain Analytics and Tax Services LLC’.

O mesmo deve buscar permitir que a agência aproveite as ferramentas de análise de blockchain proprietárias da empresa para rastrear atividades em redes de criptomoedas com foco específico na privacidade, como o Monero.

Veja mais: Descubra como avaliar a privacidade das suas transações de bitcoin