Desde o estopim do coronavírus, vimos diversas bolsas pelo mundo entrando em colapso, começando na “Segunda-Feira Negra“. Mesmo assim, o Bitcoin andou se recuperando mais rápido que o mercado de ações, enquanto investidores ainda estão confusos. Já Michael Novogratz é um dos otimistas, chegando a chamar 2020 de “Ano do Bitcoin”.

Michael é economista e já trabalhou no banco Goldman Sachs, sendo atualmente um banqueiro de investimentos e CEO da Galaxy Digital Holdings.

BTC continuará sendo volátil durante os próximos meses, mas o cenário macro (que importa) é o PORQUÊ ele foi criado. Este irá e precisa ser o ano do Bitcoin.

Twitter de Michael Novogratz, @novogratz

Para aqueles que não sabem, o “cenário de criação” do Bitcoin se refere à crise da bolha de imóveis estadunidense de 2008, de forma a “evitar e contrastar com as ações do governo e de Wall Street” na época.

+LEIA MAIS: Peter Schiff diz que a crise de Coronavírus será pior que 2008

Economia Real, ou Economia Virtual?

Assim como na economia brasileira, o Ibovespa e outros índices da bolsa de valores podem acionar um mecanismo chamado “circuit breaker”, em casos de queda massiva de valores, para evitar que investidores vendam ativos em momentos de pânico como a crise atual do coronavírus.

Em contrapartida, devemos lembrar que as criptomoedas não dependem de forças concêntricas como Governos ou Bolsas; elas tem seu valor de ativo, obviamente flutuando entre preços diferentes, mas elas não sofrem da mesma forma.

Além de não sofrerem circuit breakers, não podem ser emitidas em excesso, causando inflações, por exemplo (salvo algumas exceções). Essas são duas das inúmeras vantagens do Bitcoin no cenário atual.

Estas vantagens, por sua vez, se destacaram ao ponto de um dos mais antigos bancos da Itália adotarem sua economia singular em seus sistemas, de forma a se adaptar ao isolamento causado pela crise atual.

+LEIA MAIS: Forbes: “A hora do Bitcoin é agora. Não perca.”

Confiança na Moeda

Michael Novogratz, ainda, foi um dos que comentou sobre o estado do Bitcoin em março, quando chegou a despencar a até US$3.600: “BTC sempre foi um jogo de confiança. […] e parece que a confiança global em praticamente tudo evaporou, o que traz isso de volta ao BTC.”

Comparando ambos os pontos de vista, podemos ver a evolução da opinião de Novogratz ao assunto durante a crise; o Bitcoin, atualmente, se encontra a (aproximadamente) US$6.315,00.

Por fim, devemos lembrar que três outras entidades públicas também se manifestaram de forma positiva em relação ao Bitcoin: Edward Snowden e os irmãos Tyler e Cameron Winklevoss.