Jerome Powell, admitiu que a Libra “acendeu uma chama” sobre questões relacionadas ao dólar digital. A declaração de Jerome foi feita durante a apresentação de seu relatório de política monetária ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos EUA, que ocorreu na terça-feira, dia 11 de fevereiro.

O Presidente do Fed (Banco Central dos Estados Unidos) foi bastante questionado sobre criptoativos, particularmente pelo deputado democrata Bill Foster.

O congressista perguntou a opinião de Powell sobre os comentários recentes da governadora do Fed, Lael Brainard, que declarou que a entidade está avaliando a viabilidade de uma moeda digital própria.

Brainard acrescentou que os esforços dos bancos centrais para conduzir a política monetária podem ser “complicados” pela adoção generalizada de uma stablecoin externa como a Libra. Mas ela sugeriu que o Fed não tem pressa em emitir sua própria moeda digital, dizendo que levanta “questões jurídicas, políticas e operacionais profundas“.

Os consumidores precisam ser advertidos de que as moedas estáveis ​​provavelmente serão totalmente diferentes da moeda emitida pelo soberano em termos legais“, disse ela.

Jerome Powell

Jerome Powell deixou claro que, em sua opinião, o dólar americano “passa bem”.

Ter uma moeda única do governo no coração do sistema financeiro é algo que nos serviu bem (…) e acho que antes de nos afastarmos disso, deveríamos realmente entender o que estamos fazendo. Preservar a centralidade de uma moeda central amplamente aceita e confiável é uma coisa extremamente importante”, observou Powell.

Embora tenha sido bastante cauteloso sobre uma possível criptomoeda de banco central, Powell reconheceu que está havendo um movimento por parte dos grandes bancos centrais no sentido de avaliar as possibilidades de uma CBDC (sigla em inglês para criptomoeda emitida por banco central).

Para ele, trata-se de uma obrigação para as entidades entender os custos, benefícios e tradeoffs associados a uma possível moeda digital.

Mesmo sem que Bill Foster tenha abordado o caso da stablecoin do Facebook, a Libra, Powell afirmou que a iniciativa fez com que os bancos centrais começassem a pensar em suas CBDCs.

Francamente, a Libra realmente acendeu uma chama. (…) e foi um alerta de que isso está chegando rápido e pode vir de uma maneira bastante difundida e sistemicamente importante – bem rapidamente, se você usar uma dessas grandes redes de tecnologia como a Libra. Apreciamos totalmente a importância de progredir rapidamente – ainda não decidimos fazer isso.

Powell ainda observou que há muitas perguntas que precisam ser respondidas em torno da moeda digital dos EUA, como por exemplo questões cibernéticas e de privacidade.

Como resposta, Powell ouviu de Bill Foster:

Peço que você mantenha o fogo aceso.”

Libra made in China

Bill Foster também perguntou a Powell se o Fed tem “visibilidade” a respeito da iniciativa do Banco Central da China (o Banco Popular da China) em emitir seu yuan digital e ele respondeu:

Sim, certamente temos (…) Mas eles estão em um contexto institucional completamente diferente. Por exemplo, a ideia de ter um livro em que você conheça os pagamentos de todos, isso não é algo que seria particularmente atraente no contexto dos Estados Unidos”, explicou Powell, referindo-se à centralizada moeda digital chinesa.

A versão chinesa da Libra seria um contraponto lógico de Pequim à possível dominação de uma moeda digital ligada a Washington. Mas pelo que tudo indica, os legisladores estadunidenses, o público e o próprio presidente dos EUA não gostaram da ideia de uma moeda digital da China.