Com o clima político esquentando na fronteira entre China e Taiwan, muito se especula sobre os impactos que uma guerra no Taiwan possa trazer para a indústria de mineração de Bitcoin, sua rede e também para redes de outras criptomoedas.

Introdução

Este relatório tem o objetivo de explorar alguns dados e elaborar teorias sobre os eventos que podem, ou não, acontecer nos próximos dias.

Observando um clima tenso com severas ameaças de guerra em Taiwan e com o conhecimento de que a região, ao lado da China, está entre os maiores exportadores de Circuitos Integrados (ICs – Integrated Circuits), considerando a possibilidade de sanções comerciais e cortes em cadeias de suprimentos (supply chains), decidimos estudar alguns dados relacionados para entender quais seriam os possíveis impactos na rede e na indústria de mineração do Bitcoin.

Muitos pesquisadores do mercado chegaram a afirmar que uma guerra em Taiwan poderia impactar diretamente a rede do Bitcoin em diversos aspectos e eu mesmo me incluo entre eles, ao publicar o tweet dizendo que “Isso pode afetar (…)”, algumas horas antes de elaborar esse relatório.

Tweet de como a guerra no taiwan pode afetar a mineração do bitcoin
Fonte: twitter/vinibarbosabr

O que não é necessariamente correto, já que alguns pontos importantes foram desconsiderados e o impacto pelos “chips” deve ser bem menor do que uma primeira impressão possa sugerir, conforme pude perceber ao analisar alguns dados mais a fundo – os quais pretendo abordar neste documento.

Apesar disso, existem outras “frentes” de impacto, talvez ainda mais relevantes. Leia o relatório inteiro para entender melhor sobre o assunto.

Contexto político entre China, Taiwan e Estados Unidos

Taiwan é uma ilha localizada no sudeste da China, com 24 milhões de habitantes, que é considerado território autônomo desde 1949 quando o, então líder da China, Chiang Kai-Shek, foi derrubado por Mao-Tsé Tung e fugiu do Partido Comunista para a pequena ilha, também chamada de “Formosa”.

Mapa do google mostrando a localização de Taiwan em relação a China.

Nestes mais de 70 anos desde a revolução, a relação China e Taiwan é cheia de conflitos políticos e diplomáticos, com inúmeras tentativas de reconquista por parte do grande país asiático governado pelo Partido Comunista (PCC).

Os Estados Unidos sempre se posicionaram como fortes aliados do país, tanto por interesses econômicos, mas também de diplomacia internacional, sendo a ilha um ponto estratégico importante na guerra fria contra a China.

Com a intensificação de ameaças por parte do governo de Xi Jinping contra a ilha, a Líder da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, fez uma visita no dia 02 de agosto, para reforçar a aliança e a proteção norte-americana em caso de uma possível guerra em Taiwan, desafiando um aviso do líder chinês de retaliação, que até o momento não aconteceu.

Saiba mais: Xi Jinping conversa com Joe Biden, veja como a China pode reagir a visita de Pelosi a Taiwan

O exército chinês está preparado para realizar algumas manobras militares próximas da fronteira e do território de Taiwan. Eventos que poderiam rapidamente escalar para um conflito armado, ou poderiam ser apenas demonstração de força para tentativas diplomáticas. De qualquer maneira, existe uma tensão no ar que pode afetar o mundo todo, os mercados financeiros, indústrias diversas e, possivelmente, a rede de mineração do bitcoin.

A Ministra de Relações Exteriores e porta-voz oficial do governo chinês publicou no Twitter às 11:30am:

Porta-voz chinesa comentando sobre a visita de Nancy Pelosi
Fonte: twitter/SpokespersonCHN

“Pelosi entrará para a história com uma reputação favorável ou “de idiota” por causa dessa façanha? A história dará uma resposta justa.”

– Hua Chunying (Porta-voz do PCC)

O que pode ser considerado uma ameaça contra os Estados Unidos – intensificando as chances de uma guerra em Taiwan com impacto global.

Não falaremos de preço do BTC impactado pela guerra em Taiwan

Com tantas possíveis consequências, o preço do BTC pode sofrer muita influência e volatilidade nos próximos dias, com ameaças, incertezas, negociações diplomáticas e até mesmo conflito armado.

Como informamos em outras ocasiões, guerras impactam fortemente o preço de vários ativos e não temos porque acreditar que no caso de guerra em Taiwan isso seria diferente, mas não pretendo trazer análise de preço (fundamental ou técnica) neste relatório. Sugiro ler nossa cobertura e artigos sobre a invasão da Rússia na Ucrânia para entender possíveis cenários.

Saiba mais:

Guerra em Taiwan: Dados e Consequências

Além de todas as consequências sociais e econômicas bem graves (e mais importantes) de qualquer guerra, com: mortes, refugiados, falta de alimentos, direcionamento de recursos, aumento da inflação da oferta monetária para financiar a guerra, etc… Existem algumas consequências mais pontuais que podem afetar a rede do bitcoin e de outras criptomoedas.

Vamos analisar apenas os pontos relacionados ao objetivo deste relatório.

Circuitos Integrados, microchips e chips

Taiwan, também chamado de Chinese Taipei, ou Taipé Chinês, é o principal exportador de Circuitos Integrados (ICs – Integrated Circuits), também chamados de chips ou microchips.

Em 2020, o país foi responsável por 20,7% dos US $669 bilhões de exportações, que equivalem a cerca de US $138 bilhões. Um crescimento de US $24,3 bilhões em relação ao ano anterior (2019).

Mapa de calor de exportação. de ICs, conforme descrito.
“Exportadores de Circuitos Integrados (2020)” – Fonte: OEC

Além disso, ao analisar os dados internos da ilha, 36,9% de todas as suas exportações foram de Circuitos Integrados (chips) , revelando o peso que essa classe de produtos tem para a economia taiwanesa.

Para aumentar ainda mais a relevância destes dados frente à ameaça de guerra no Taiwan, envolvendo China e Estados Unidos, os dois países são os principais compradores de ICs taiwaneses – sendo responsáveis por 27,7% e 14,6% de todas as compras, respectivamente.

Gráficos com dados sobre exportações de Taiwan.
“Taiwan: Exportações vs Destinos (2020)” – Fonte: OEC

Consequências da guerra no Taiwan para a rede do bitcoin e de outras blockchains

Existem algumas possíveis causas que poderiam impactar diretamente a cadeia de suprimentos de Circuitos Integrados, ao entender que o peso de Taiwan para este produto é extremamente relevante. São elas:

  1. Aumento da demanda militar para ICs – Equipamentos militares utilizam chips e, durante uma guerra no Taiwan, podemos esperar que uma grande porcentagem da produção destes chips passe a ser direcionada para a guerra, em armas e equipamentos de inteligência, tanto pelo Taiwan como pelos EUA.
  2. Bloqueios comerciais e dificuldade de exportação – É esperado que, em caso de guerra no Taiwan, ocorram bloqueios comerciais dificultando as operações logísticas de exportação com saída do país.

Em ambos os casos, o que ocorreria é um provável choque de oferta (supply shock) para esse tipo de produto, diminuindo a produção de equipamentos que usam microchips (quase todos os produtos atualmente) e elevando muito o preço destes produtos derivados no mercado, pela lei de oferta e demanda.

Os preços atingiram altas históricas nos últimos três anos, superando valores vistos apenas em outubro de 2018.

Gráfico de índice de preço dos Circuitos Integrados, com alta histórica superando os 59.0 de outubro de 2018, com 59.1 em Junho de 2022.
“Índice de Preço de Exportação para Circuitos Integrados” – Fonte: FRED

E a subida foi constante nos meses anteriores, de um ano para cá, atingindo o índice de 59.1 em junho de 2022. O que indica que o mercado talvez já venha precificando conflitos entre Estados Unidos, China e Taiwan.

Evolução do preço de chips em exportação, com gráfico de barras mostrando crescimento constante no período de um ano.
“Índice de Preço de Exportação para Circuitos Integrados” – Fonte: TradingEconomics

Minha teoria inicial era de que isso poderia elevar o preço das ASICs, afetando diretamente a mineração do Bitcoin, mas conforme pesquisei e conversei com outros especialistas, ficou claro que a mineração em proof-of-work seja talvez a menos influenciada pelos ICs, já que elas utilizam circuitos específicos que não necessariamente entram nessa conta.

O preço das ASICs parece realmente agir de forma mais isolada, atrelado diretamente ao preço do Bitcoin e, consequentemente, à rentabilidade da mineração. Não existe nenhum dado conclusivo de que um aumento geral de preços em Circuitos Integrados possa ter qualquer influência no equipamento especializado.

Gráfico cruzado mostrando preço índice das ASICs para mineração de bitcoin em tendência de baixa no período de um ano, acompanhando o preço do BTC.
“Índice de Preço para ASICs, cruzados com a cotação BTC/USD” – Fonte: HashrateIndex/ASIC

*O que não significa que não impactaria. Apenas que a dedução lógica inicial não pode ser demonstrada com análise empírica.

De qualquer forma, o impacto para a rede do bitcoin e para a rede de outras blockchains pode ser bem significativo. Isso ocorre porque outras blockchains em proof-of-work como Monero, Ethereum e Dash têm sua mineração realizada por GPUs e máquinas domésticas mais comuns, que utilizam Circuitos Integrados gerais.

Além disso, mesmo para redes em proof-of-stake, ou que utilizam outros métodos de consenso, todas têm um ponto em comum: Seus nodes rodam em equipamentos que usam Circuitos Integrados. Nodes precisam ficar ligados, dados em nuvem são armazenados em servidores ou em ledgers distribuídos e todos eles precisam de ICs.

Poderia ficar muito mais caro rodar qualquer node em qualquer rede, no caso de um choque sobre a cadeia de suprimento deste produto, afetando a descentralização e segurança de todas elas, já que menos pessoas conseguiriam manter os “peers” ativos.

Isso pode trazer um destaque muito grande para redes mais eficientes e que utilizam menos recursos. Quanto mais fácil for rodar um node, mais a rede pode se destacar contra as demais, no caso de uma guerra em Taiwan.

ASICs e mineração do Bitcoin

No entanto, o problema das ASICs de mineração pode estar em sua própria força.

Ao fazer parte de um ecossistema de nicho, como demonstrei com a baixa correlação de preço entre ASICs e ICs, mas a alta correlação do primeiro com o desempenho do Bitcoin no mercado, a produção desse tipo de equipamento especializado ainda está concentrado nas mãos de poucos fabricantes.

Sim, a produção do equipamento que garante a segurança em proof-of-work da rede blockchain mais valiosa do mundo, que alcançou US $1,30 trilhões em capitalização em novembro de 2021 e atualmente domina cerca de 40% de todo o mercado cripto, ainda é pouco descentralizada.

A Bitmain, produtora da ANTMINER, uma das ASICs mais rentáveis e mais utilizadas pela vasta maioria dos maiores mineradores de Bitcoin do mundo detém uma parte considerável das exportações.

Seguida de longe pela MicroBT e Canaan, essas três produtoras atendem o mercado quase que em sua totalidade e as três estão sediadas em Pequim e Shangai, na China.

A Bitmain possui unidades em outros 100 países e a Canaan conseguiu se estabelecer também em Cingapura, mas seus centros de fabricação ainda são muito dependentes da mão de obra chinesa e do fornecimento de insumos que também são originados, em grande parte, da China e Taiwan.

Com a concentração fabril em apenas uma região, este é mais um fator de centralização que impacta diretamente a rede do bitcoin.

A vida útil das ASICs é de cerca de um ano e meio, segundo a DigiConomist, que afirma que neste tempo, a maioria dos equipamentos ficam completamente obsoletos e precisam ser descartados e substituídos.

No gráfico abaixo podemos ver o aumento do lixo eletrônico gerado pelo descarte de equipamentos no decorrer do tempo.

“Monitor de Lixo Eletrônico do Bitcoin” Fonte: DigiConomist

Mesmo com vida útil total média de um ano e meio, muitos mineradores fazem a troca com frequência ainda maior — já que com apenas alguns poucos meses de uso, as ASICs já começam a ter seu rendimento prejudicado, consumindo mais energia e recursos para gerar menos prova de trabalho para a rede, gerando menos hashrate e, consequentemente, um menor lucro.

A segurança da rede do Bitcoin no médio prazo é totalmente dependente da capacidade de comprar os Circuitos Integrados de Aplicação Específica, que por sua vez tem a produção centralizada na China, nas mãos de, principalmente, três empresas, sendo uma delas de dominância considerável (Bitmain).

No caso de uma guerra em Taiwan, o maior país em mineração de bitcoin (EUA), que já possui um conselho de mineradores trabalhando em conjunto, pode se ver diante de um bloqueio comercial com a China, maior fornecedor do equipamento base para essa atividade.

A guerra do Taiwan muito provavelmente traria sanções comerciais entre aliados e inimigos envolvidos no conflito, da mesma maneira como ocorreu com a Rússia e Ucrânia, o que poderia prejudicar a segurança e a descentralização da hashrate no Bitcoin.

Conclusão

Existe uma ameaça real de guerra em Taiwan que pode ou não se concretizar.

No caso de que o conflito escale, envolvendo outros países, os impactos podem ser muito grandes para todo o ecossistema de redes em blockchain.

No caso de um bloqueio comercial na ilha, o fornecimento de Circuitos Integrados ficariam prejudicados, podendo ou não afetar a produção e o preço de ASICs, mas muito provavelmente afetando a produção de todos os demais equipamentos eletrônicos que utilizam chips e micropchips para funcionar.

Afetando, por sua vez, as redes descentralizadas que contam com nodes sendo configurados, podendo encarecer a manutenção destes nodes e a descentralização da rede, ao criar fortes barreiras de entradas e encarecer os “peers” (pares).

No caso de sanções comerciais entre China e Estados Unidos, o fornecimento de ASICs poderia ser prejudicado, prejudicando o país com maior representação de hashrate, encarecendo a atividade da mineração, diminuindo a segurança e a descentralização do Bitcoin, em um negócio menos lucrativo e com fortes barreiras para mineradores menores ou com menos capital de giro.

A rede do Bitcoin já se demonstrou muito resiliente frente a problemas geopolíticos anteriores, com proibições e ataques diretos. Podemos presenciar em breve um novo teste de resistência e capacidade de se reerguer frente aos desafios.

Os resultados… Pertencem apenas ao tempo.

Leia mais relatórios de nossa equipe de Research:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br